quarta-feira, 4 de agosto de 2010

RIO DOCE


Tinhas nos olhos um rio doce
e eu fui margem que te quis tanto!...
Mas quis-te a foz mais do que eu
te pude amar ou te prender...
E nas dores minhas de te perder
salguei meus olhos, tornei-me mar,
fui o teu berço de desaguar...

Tinhas nos olhos um rio doce
que guardei dentro dos meus,
mas da mistura que fiz de nós
só o azul aconteceu,
já que em pura sublimação,
todo o teu ser se elevou,
todo o meu ser é reflexão:
mar desespero e puro céu...


2 comentários:

®Haere Mai disse...

Levou um pouco do rio
e com as nuvens construiu
cavalinhos de algodão.

Tens dela o rio
As suas mãozinhas te agasalham do frio
Brincando com os raios de sol
Te manda incenso de amor
Ao contemplares o céu
Que pintou com a sua cor

Beijo azul Dianinha

®Haere Mai disse...
Este comentário foi removido pelo autor.