sábado, 12 de abril de 2008

BONECA DO MEU ALTAR


Guardei de ti a imagem de boneca
Que brincou no calor do meu regaço...
Fazia-te, nos cabelos, doce laço,
Em jeito das asas de borboleta...

Guardei-te no cofre da minha alma,
Já que a Vida te recusou um lugar...
Talvez p'ra teu brilho preservar...
Talvez p'ra que fosses o meu bálsamo...

Guardei o teu brilho num lugar
Onde só o meu coração o pode ver,
Boneca de vivo amor, que é só meu...

Guarda-me tu, doce Anjo, no altar
Da saudade que vive até eu morrer...
Boneca, brinca em luz, lá no teu Céu...

1 comentário:

Sandra disse...

Teresa,

Um grande beijinho para sí e outro especial para a sua Boneca que, de certo, a guarda e aos manos enquanto brinca num céu estrelado, grandioso e lindo como ela.

Sandra