quarta-feira, 11 de junho de 2008

ANJO MEU

Anjo meu, saudade minha, flor em botão,

Que a Vida não ousou abrir, por tão sagrada,

Ar que me falta, supremo sopro, luz ansiada

Porque suspira um terço do meu coração...





Anjo alado, doce boneca de porcelana,

Que divino toque animou em requebros doces,

Foste água fresca, qu'evaporou em celeste chama,

Amor-menina, jovem, mulher, quem dera fosses!





Esses teus lábios de doces beijos de passarinhos,

Esses teus olhos, de luz de estrelas, a cintilar,

São puras jóias de que só guardo terna saudade,





Eterno brilho, qu'em mim lavra, mas que não arde,

Eterno Anjo, que Deus quis acarinhar,

Mas que deixou tão quente e doce minh'alma-ninho!!









2 comentários:

online gambling disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Sandra disse...

Que linda, Teresa. Que linda a sua menina, o seu anjinho. Que saudades imensas no seu coração...

Um grande beijinho,

Sandra