segunda-feira, 26 de janeiro de 2009


SEMPRE QUE DEZEMBRO CHEGA



(Dia 8 de Dezembro, dia santo, faz anos que nasceste, filha. Vinte e três... e os dois anos que te tive comigo, parecem-me sempre tão breves e luminosos como o Domingo daquele Dezembro, tão cheio de luz e azul cristal... e gorjeios inocentes de passarinhos que se deixaram ficar no Inverno, só para te saudar... naquele Domingo de louvor e Sol...)




Sempre que Dezembro chega

E te derramas em saudades

De chuva fria e gemente,

Sinto o Sol daquele dia

Em halos de divindade

A'ninhar-me a alma caída...








...e o vento sopra-me as feridas

pungentes do recordar,

assobia-me as cantigas

dos meus beijos de mimar...








Quando Dezembro chega

E gela as lágrimas que esbanjo

Sobre a terra fria e serena...

Sinto flocos de neve caírem

Como penas de asas d'anjo

E a minha alma roçarem...



...e os carinhos que nela moram,

Desistentes de migrar

Piam dores que alimentam

Uma canção de ninar...








...e o nevoeiro fia-me o linho

do sudário onde medito

o rosário do carinho

que eternamente repito...









( Diana Maria - 08/12/1985**22/12/1987)

escrito em 07/12/2008

1 comentário:

chica disse...

Tera , aqueles dois anos que essa anjinha esteve em teus braços, recebeu o carinho de uma vida inteira, tenho certeza!Diana está lá de cima te olhando e guardando! um beijo,chica