sexta-feira, 13 de novembro de 2009



AINDA EM MIM

És em mim

Lírio aceso,
Círio em flor,
Dia de estrelas,
Sol em crescente,
Grito de seda,
Silêncio crente,
Pranto de mel,
Olhar fundente...

Ainda em mim

És só saudade
Do que não foi,
De tudo, enfim,
Que me é dado
Imaginar...

Amargo-doce,
Este lembrar
É poesia
Lavrada a lágrimas...

De faz-de-conta,
O desfolhar
Das tuas pétalas
Nas minhas páginas...
E os anos passam
Sem ninguém ver
Como serias
Linda e mulher...

3 comentários:

oriafo disse...

Lindo poema e tão triste. Que os deuses estejam sempre, sempre contigo.
Um beijo
Maria

grapilho disse...

Ser-se solidário, é obrigação
Por quem tesouro perdeu na vida
Solidário com quem tanto sofre
E tanto sangra dessa ferida


Outra Lágrima


"Grapilho"

Marialuz disse...

Um grande abraço de comunhão na dor maior.
Um beijo fraterno.

Marialuz